Fala-lhe galego!


O artigo Fala-lhe galego! foi publicado originalmente no PGL em 1 de abril de 2019.


Tenho observado em Euskal Herria um comportamento sociolinguístico curioso. Nom digo que seja um comportamento maioritário, nem generalizado, apenas uma tendência subjetiva que vejo na gente do meu redor. A gente adulta fala em euskara às crianças.

Vamos ver, a situaçom linguística em Euskal Herria e na Galiza é mui diferente. Elas partem duma porcentagem muito menos de falantes de euskara, e ainda hoje está longe de que toda a populaçom do território seja capaz sequer de entendê-la. As estratégias que funcionam para o euskara nom se adaptam, polo geral, às nossas circunstâncias. Porém, esta tendência em particular pode ser mui útil para o galego.

A situaçom que vejo com frequência é a seguinte. Temos uma pessoa adulta castelhanofalante, com um nível de conhecimento básico do euskara e que nom o fala normalmente. Esta pessoa encontra-se com outra pessoa adulta, e estabelecem uma conversa em castelhano. A segunda pessoa adulta vem acompanhada duma criança, que tende a ter vergonha e nom falar. Entom, a primeira pessoa adulta decide que quer saudar a criança, fazer-lhe um agarimo ou uma monada. E… Oh! Surpresa! A pessoa adulta castelhanofalante com nível básico de euskara que nom o fala normalmente, muda de língua e fala em euskara à criança! Geralmente a cousa nom passa dum “Zer moduz, maitia?” e as quatro parvadas que se acostumam dizer às crianças desconhecidas, mas isso tanto tem para o tema.

Agora, já sei, muita gente estará a pensar que é uma cousa absurda, que nom é importante, que a normalizaçom requer medidas drásticas… e dou-vos a razom. Mas este gesto pequeno consegue muitas cousas. Primeiro, fai ver à criança que o euskara é uma língua plenamente normal e válida para as conversas com pessoas desconhecidas. Muitas vezes tenho visto o caso de duas falantes de euskara que nom se conhecem a falar em castelhano, por nom se atrever nenguma delas a falar na sua língua materna com desconhecidas. Segundo, serve para ver que o euskara é uma língua usada por toda a gente. Assim pode ver que o euskara é usado com normalidade por todo o tipo de gente, e quita a visom de que só é falada por gente do rural sem estudos. Por último, serve de exemplo. As crianças vem as pessoas adultas como modelos, e acabarám por imitar estas condutas, espalhando ainda mais o uso da língua.

Para nós, na Galiza, seria mui valioso importar esta conduta, especialmente nas grandes cidades castelhanizadas. E, realmente, é um pequeno gesto que nom supom esforço nengum. Se és galegofalante, é só continuares a falar a tua língua. Se és castelhanofalante, é só mudar de língua num número pequeno de situações. Nom custa nadinha. Um pequeno gesto que pode fazer uma grande diferença nas gerações futuras.

Afinal, o que estou a dizer é o que já dizia esta campanha da Junta de há mais de 30 anos…

FALA-LHE GALEGO!