Manteigas, margarinas e semelhantes


O artigo Manteigas, margarinas e semelhantes foi publicado originalmente no blogue abraiante.net em 25 de maio de 2013.



«O melhor que pode acontecer a um croissant é ser untado com manteiga; isso pensei enquanto recheava um aberto pola metade de margarina vegetal barata»¹. Assim começa o livro O melhor que pode acontecer a um croissant, do escritor catalão Pablo Tusset. Mas o tema do qual vamos falar não é o croissant, é o material com que é untado. Porque... que será mais saudável, a manteiga ou a margarina?

A manteiga é um derivado lácteo. Elabora-se a partir da nata do leite mediante um processo artesanal, batendo a nata até conseguir uma emulsão de água em gordura. Mas não por ser artesanal é boa, já que engorda bem (cada colher de manteiga tem mais de 35 kcal) e, pior ainda, contém muitas gorduras saturadas, o que aumenta o colesterol e aumenta o risco de sofrer um infarto e outras doenças cardiovasculares.

A margarina foi a tentativa de criar uma alternativa mais barata e saudável à manteiga. É produzida a partir de óleos vegetais mediante um processo químico chamado hidrogenação. O problema é que neste processo são criadas gorduras trans, que diminuem os níveis de colesterol bom e aumentam os de colesterol mau, resultando também em problemas de coração.

O unto é a gordura do porco, usado tradicionalmente na Galiza. Tem ainda mais gordura saturada que a manteiga, além de ser mais calórica. Por tanto, é a pior das opções.

O azeite é o óleo vegetal líquido obtido da azeitona. É de todas as alternativas a mais saudável. Contém uma grande quantidade de gordura monoinsaturada, que não só não aumenta os níveis de colesterol senão que os reduz, sendo assim um protetor contra problemas de coração. Aliás, também contém polifenóis, substâncias antioxidantes que também contribuem para a proteção contra problemas cardiovasculares.

Além destas também existem outras manteigas (de cacau, de amendoim...), óleos doutros vegetais (como o de girassol) e muitos mais produtos gordurosos próprios da culinária de diferentes lugares do mundo. Mas afinal todos acabam por ter os mesmos problemas, engordam e são maus para a saúde.

Então, a conclusão que tiramos disto é que à hora de cozinhar o melhor é evitar manteiga, margarina e demais produtos e simplesmente fazê-lo com azeite. E se o que queres é untar um croissant... pensa-o duas vezes. O melhor que pode acontecer a um croissant não é o melhor que che pode acontecer a ti.


¹No castelhano original: «Lo mejor que le puede pasar a un cruasán es que lo unten con mantequilla; eso pensé mientras rellenaba uno abierto por la mitad con margarina vegetal de oferta».